Convenção Internacional para

Proibir o Consumo de Carne de Cão e de Gato

Iniciado por: World Dog Alliance
Destinatários: A Casa Branca, No.10 de Downing Street

Genlin é o fundador da World Dog Alliance (WDA). A sua filosofia é “mudar a sociedade humana, salvar cães e gatos”. Para alcançar a sua missão, aderindo em simultâneo à estratégia legislativa, Genlin também tenciona instituir uma convenção internacional para proibir o consumo de carne de cão e de gato. Essa convenção será o melhor meio para chamar a atenção internacional para a questão da carne de cão e de gato.

No dia 21 de junho de 2014, a WDA foi fundada para promover a proibição do consumo de carne de cão e de gato em todo o mundo. Genlin acredita que a legislação é a única forma de erradicar a prática imoral de comer carne de cão e de gato, particularmente nos países asiáticos.

No dia 26 de setembro de 2015, o primeiro Dia dos Amigos dos Cães foi lançado pela WDA. Eating Happiness, um documentário produzido por Genlin, foi exibido em cidades em todo o mundo para revelar a natureza barbárica do consumo de carne de cão nos países asiáticos.

No dia 12 de setembro de 2016, em resposta a uma petição parlamentar iniciada pela WDA, o parlamento do Reino Unido exerceu pressão sobre o governo sul-coreano através de meios diplomáticos, o que resultou no encerramento do Mercado Moran, o maior mercado de carne de cão em Seul.

No dia 11 de abril de 2017, a campanha da WDA levou a que fosse aprovada a proibição do consumo de carne de cão e de gato em Taiwan, fazendo de Taiwan um farol de esperança na Ásia.

No dia 12 de dezembro de 2018, o Congresso dos Estados Unidos aprovou a “Farm Bill” (lei agrícola) que torna ilegal o consumo de carne de cão e de gato. Esta lei estabelece um marco histórico para os esforços legislativos da WDA nos Estados Unidos desde 2015.

Cada ano, na Ásia, mais de 30 milhões de cães são abatidos para servirem de alimento, 70% dos quais são cães de companhia roubados. Após investigação minuciosa, a WDA elaborou e publicou um livro branco sobre o agravamento da pena para o roubo de cães, com o objetivo de por fim a esse crime e ao consumo de carne de cão e de gato na China Continental.

No dia 6 de março de 2019, um congressista chinês introduziu a Lei de Proteção de Animais de Companhia que propõe a proibição do consumo de carne de cão e o agravamento da pena pelo roubo de cães. Não só o esforço legislativo da WDA quer salvar os nossos queridos animais de companhia, como também veio criar uma luz de esperança aos seus cuidadores.

No dia 13 de março de 2019, utilizando informações em primeira mão e detalhadas fornecidas pela WDA, um congressista japonês levantou a questão da carne de cão durante uma sessão de interpelação no Congresso Japonês. O facto surpreendente de existirem mais de 100 restaurantes de carne de cão no Japão causou um grande em todo o mundo. O objetivo da WDA é introduzir legislação de proibição do consumo de carne de cão e de gato no Japão antes do início dos Jogos Olímpicos de Tóquio em julho de 2020.

No dia 11 de junho de 2019, a WDA e uma congressista italiana apresentaram, em conjunto, um projeto de lei relativo à proibição da carne de cão e de gato em Itália. Itália é uma nação que gosta de animais, acreditando-se assim que o projeto de lei será aprovado num futuro próximo.

No dia 10 de julho de 2019, o Parlamento do Reino Unido aprovou com uma emenda que visa a inclusão de uma proibição de carne de cão e de gato no Projeto de Lei sobre o Bem-Estar dos Animais (Sentenças), que irá provavelmente ganhar força de lei até ao final de 2019. Os esforços de campanha da WDA no Reino Unido ao longo dos anos estão a dar os seus frutos.

No dia 28 de julho de 2019, a WDA anunciou a sua campanha da convenção e lançou uma petição para angariar apoio junto do público, formando uma tendência global contra esta atrocidade. Congressistas dos EUA e membros do Parlamento no Reino Unido já se comprometeram a apoiar a convenção da WDA. Como Jeff Denham, antigo congressista norte-americano que introduziu a proibição da carne de cão e de gato nos EUA, afirmou no seu discurso, “Esta convenção demonstra o nosso país com outras nações que proibiram a carne de cão e de gato e vem reforçar os esforços internacionais existentes para reprimir essa prática em todo o mundo.”